O artista do ano

Querido leitor,

Você acaba de ser premiado! Está prestes a ler a história mais incrível da sua vida!

Meu nome é Henry Longbottom e gostaria de contar para vocês uma história. Primeiramente você sabia que existe uma sociedade de artistas que atua no mundo inteiro? Buscamos recriar o “Renascimento” na sociedade moderna. Temos conosco os melhores artistas do mundo, e em cada lugar vocês nos dão um nome, pois estamos sempre envolvidos nos eventos mais polêmicos do mundo.

Os encontros da sociedade acontecem de cinco em cinco meses, em diversos locais, é claro! Não queremos que nos encontrem assim tão fácil, mas sempre deixamos uma pequena pista no final, para saberem que dessa vez o evento aconteceu ali.

Ficamos orgulhosos quando as nossas criações viram notícia e vocês criam até nomes para nós, de acordo com o nosso padrão. É como se cada nova obra fosse parte de uma exibição, mas vocês realmente acham que aquele nome define o nosso trabalho? Isso só faz com que nos sintamos muito importantes e com vontade de a cada dia mostrar mais o nosso trabalho. Na verdade, vocês não sabem de nada.

Voltando para o assunto, estava só introduzindo vocês ao nosso mundo, a história que quero contar é sobre como eu tentei me tornar o artista do ano dessa vez. Todo ano escolhemos alguém para esse prêmio, com direito a um baile e um banquete esplêndido. O título é entregue para quem fizer o melhor trabalho durante o ano, o mais inovador, o mais criativo.

Eu nunca consegui ganhar esse prêmio, confesso que minhas técnicas estão bem ultrapassadas e não sou nada criativo. Então, depois de muitos anos tentando e nunca saindo do lugar, esse ano resolvi fazer uma coisa diferente: Primeiro, no dia da votação, convidei o jurado principal do evento para um almoço na minha casa. Era apenas um evento para nós dois, mas ainda assim preparei uma refeição digna dos deuses. Depois de vários pratos, finalmente servi a sobremesa, o meu bolo de frutas vermelhas, e deixei para servir na sua frente a minha calda especial de chocolate. O meu ingrediente especial é um sonífero que faz o privilegiado convidado dormir em apenas 3 segundos. Assim que ele dormiu o levei para o freezer, onde aguardaria até o “grand finale”.

Peguei o seu celular e mandei uma mensagem para a alta cúpula da sociedade, dizendo que a comida do jantar principal do evento de seleção deste ano seria feita pelo Henry Longbotton, (eu, no caso) e que tinha decidido isso de última hora. O cozinheiro do prato principal era sempre alguém escolhido entre os membros.

Então comecei a trabalhar na minha obra derradeira. Pendurei o corpo do jurado em um gancho no meu abatedouro e com uma faca bem afiada fiz um corte sobre os ossos da coluna, aos poucos fui cortando as carnes que estavam perto dos ossos, tirando a pele e os outros órgãos, deixando apenas as melhores partes para fazer um belo “Steak tartare”.

Chegando no evento, na hora do jantar, servi a todos dizendo que era uma receita de família, os pratos estavam magníficos. Fiz questão que todos comessem antes de se iniciar a votação para o artista do ano. Recebi vários elogios (era isso que eu esperava) e me pediram até a receita, mas disse que ainda não podia contar o segredo do prato. Logo antes de se iniciar a votação, subi ao palco e contei o meu feito:

– O que acharam do prato principal desta noite? Este é o meu prato especial, com carne fresca do Sr. Lestrange.

Achei que isso já ia me fazer levar o troféu do ano para casa, mas todos começaram a gritar e me xingar dizendo que só o que eu fiz foi copiar o maior artista de todos os tempos, Hannibal Lecter, e disseram que a partir deste momento estava expulso da sociedade. Para piorar, deixaram o que sobrou do prato de pista para polícia, isso causou um tumulto enorme. Não demorou um dia para começarem as notícias de que Hannibal estava de volta.

E é por isso que estou escrevendo esta carta e contando essa história, para você aí que a encontrar, dizer para o mundo que não foi o Hannibal dessa vez quem fez o jantar! Hannibal está morto! Dessa vez foi Henry Longbottom! Agora este é o MEU ESTILO.

Atenciosamente,

Henry


Ilustrador : Brendom Rodarte

Escritora: Nathália Santos

Para seguir o nosso trabalho no instagram:

@nathaliaesantos_

@brendomrodarte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s