O Enigma do Castelo Secreto

Acordei assustada! Estava deitada em um chão frio de um castelo desconhecido, meu lindo vestido com fitas e mangas bufantes, estava todo rasgado. Eu não me lembro como cheguei aqui e nunca havia visto este castelo antes. Só me lembro de estar caminhando pela floresta com meu melhor amigo, avistamos esse castelo, Wick saiu correndo e o segui, e agora estou aqui. E acabei me lembrando de uma história:

“Quando eu era criança minha aia contava histórias sobre um castelo secreto, onde morava uma feiticeira muito má, que foi amaldiçoada por ter vendido sua alma para o diabo em troca de ouro. Essa feiticeira se apaixonou um por um belo príncipe, mas os dois não poderiam viver juntos, pois ela era só uma simples camponesa.

Ninguém sabia que essa simples camponesa conhecia de feitiçarias, e ela acabou fazendo um trato com o diabo, pediu para que ele a transformasse na princesa mais rica deste reino, e que todos que entrassem em seu castelo reconheceriam que o castelo era todo feito de ouro.

O diabo atendeu suas vontades e ela conseguiu casar com seu lindo príncipe e ainda ser reconhecida como a princesa mais rica. Passaram-se alguns anos, a feiticeira ficou doente e sabia que alguma hora o diabo iria aparecer para levar sua alma. Ela não queria ir para o inferno, então pensou em engana-lo colocando outra pessoa em seu lugar.

Ela matou uma criada, colocou seu corpo em sua cama com suas roupas, se escondeu no guarda-roupas e ficou esperando o diabo aparecer. Não demorou muito ele chegou pronto para levar sua alma, mas percebeu que a feiticeira estava diferente, ficou furioso porque estava sendo enganado e a amaldiçoou: sua alma ficaria trancada no castelo até que uma princesa tão rica quanto ela aparecesse para ficar em seu lugar. Se uma princesa demandasse o enigma à feiticeira, ela teria a chance de tentar respondê-lo. Se ela acertar, poderia tomar todo o ouro e alma da feiticeira enfim queimaria no inferno para sempre. Caso contrário, a feiticeira poderia escolher o seu destino”

E aqui estou eu, uma princesa muito rica presa em um castelo desconhecido. Será que essa história é mesmo real?

Quando eu me viro vejo uma bela princesa, com um vestido coberto de joias na minha frente. Sorrindo ela disse:

– Olá minha criança, olhe ao seu redor, este castelo coberto de ouro, estes vestidos cobertos joias, tudo isso pode ser seu.

Olho em volta e realmente é tudo feito de ouro, daria tudo para vestir um desses vestidos. De repente me lembro que não havia chegado ali sozinha:

-Onde está meu melhor amigo?

Ela responde com uma cara de desprezo:

– Por que com todo ouro neste castelo, você se importaria com aquela coisa repugnante?

– Eu quero saber onde ele está?

– Está no guarda-roupas onde me escondi do diabo.

Começo a chamar por Wick e vou andando em direção ao guarda-roupas, escuto seu gemido e choro, arranhando as portas para sair do armário. Quando estou quase o alcançando, a feiticeira me puxa pelo cabelo e me arrasta até a cama. Ela deita sobre mim e tira um punhal do seu vestido, e quando estava pronta para apunhalar meu coração, eu me lembro do enigma e grito assustada:

– O DIABO…. A HISTÓRIA…. EU TENHO DIREITO AO ENIGMA!

Ainda com o punhal sob o meu peito ela me olha novamente com aquela cara de desprezo, e sussurra perto do meu rosto:

– Ora ora, então você sabe da história?

– Sim! EU QUERO O ENGIMA!

-Então me diga, O que o ser humano mais preza nessa vida?

Percebi que ela estava aguardando a minha resposta, nesse meio tempo Wick conseguiu sair do armário e veio correndo em nossa direção e mordeu a sua mão que segurava o punhal. A feiticeira saiu de cima de mim assustada e ficou parada em frente a uma lareira, aproveitei e a empurrei no fogo. E a respondi enquanto ela se debatia, mas estranhamente ela não se queimava:

– O que eu mais prezo na minha vida é minha amizade e lealdade do meu melhor amigo Wick e nunca o trocaria por nada nesse mundo!

Olho para o Wick e vejo que está olhando em outra direção e me vejo que havia mais alguém no quarto. Ele sorri para mim sem dizer uma palavra e entrega uma chave bem pesada, parecia ser feita de ouro. Faz uma reverência e caminha em direção à lareira, onde ele e a bruxa desaparecem no meio das chamas.

Percebi que era a chave do castelo, saio correndo em direção a porta, assobio e chamo meu melhor amigo:

– Vem meu cachorro levadinho, vamos contar para todo mundo que achamos o castelo coberto de ouro, graças as suas travessuras!


Ilustrador: Brendom Rodarte

Escritora: Nathália Santos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s